quinta-feira, fevereiro 05, 2009

Onde Nasce o Diferente?

Gente que não entende nada de propaganda é boa referência
Em entrevista para a Revista de Criação, Ruy Lindenberg, Vice-presidente de criação da Leo Burnett, falou algo que liga-se durante o processo de criação de peças e anúncios (e que muitos publicitários esquecem), ao: "Se você não consegue explicar sua idéia para a sua mãe. A idéia não é boa.", parafraseando o que Carlos Domingo, em Criação sem Pistolão, falou (se não me engano).

"Continuo achando que o melhor professor de propaganda ainda é a vida. Ao contrário do que se pensa, as pessoas são mais movidas por emoções do que pela lógica. Se a gente observar como elas se comportam, como se comunicam, como vivem, isso pode ser uma excelente escola. Descobrir o que existe por trás dos melhores comunicadores, das músicas, dos filmes e das novelas que fazem sucesso. Conversar com gente que não entende nada de propaganda pode nos ajudar a entender melhor a nossa profissão.

(...)

Tempo é raro. Mais pressa, menos capricho.

Para se criar uma coisa realmente original é preciso não apenas talento, mas também tempo. E isso está cada vez mais raro nas agências, com mais trabalho do que equipe, com mais refação do que criação, com mais pressa do que capricho. Sem dúvida, esse é um dos motivos para nossa propaganda não ser tão brilhante hoje como já foi no passado. Esse modelo também torna mais difícil a pessoa sair do mundinho da propaganda e ir buscar idéias novas fora dela no seu tempo de folga.

4 comentários:

Juliano Santana disse...

É por aí mesmo.
"A pressa é inimiga da perfeição."

Talvez devessemos voltar pra trás para evoluir. Que tal? Antigamente tinha menos ferramentas para se trabalhar e mais criatividade.

Hoje em dia é o inverso, o que era simples ficou complexo.

Se pararmos pra pensar, a propaganda vem justamente para oferecer uma solução e com isso simplicar e saciar nossos desejos, mas na prática isso passa um pouco longe.

Me lembro de documentário bem interessante que explica não só a propaganda, mas esse tal "sistema" que nem sempre foi assim.

Paulo Peres disse...

Fiquei curioso. COmo se chama este documentário Juliano? Lembra-se?

abs

[camille paixão] disse...

Adorei o post, Paulo.
Faz a gentre repensar o processo criativo nos dias de hj.
Tb estou interessada no doc...rs.

Sobre os selos, eh soh seguir as regras. Vc participa se desejar.
No caso do selo 'maneiro', vc soh envia para o e-mail indicado depois que conferir se todos seus indicados postaram. Eles vão fazer a mesma verificação e se tiver tudo certinho, vc ganha a caricatura.

bom fim de semana.
bjO=]

Fran... disse...

Também já ouvi várias histórias de pessoas que não tinham nada haver com a publicidade e deram idéias ótimas, muitas vezes estamos "bitolados" no processo e uma pessoa de fora ve as coisas por outro ângulo...